Atualmente, a sociedade vive com medo da agressividade da sociedade fora de seu lar.

Isso aumenta o comportamento de super – proteção sobre os filhos visando sua proteção, o que atrapalha o seu crescimento.

      Os pais assumem cada vez mais as dificuldades no lugar dos filhos. Tiram deles a oportunidade de desenvolverem seus próprios mecanismos de defesa, tomando partido deles nos pequenos conflitos normais no crescimento das crianças. Elas terão que aprender a conviver com o outro lado, quer com amigos na escola, com professores e mais tarde no convívio de colegas e chefes no seu trabalho de adulto.

      Não as ensine que estão sempre certas, que são o centro do mundo ou estará criando um bebê chorão para sempre, que acha que o mais importante é pensar em si mesma. Você conhece alguém assim. Eu também.

Abraços,

Marize Peron Amatucci
Psicoterapeuta
Diretora Fundadora