Você já deve ter ouvido falar no Mystery Guitar Man, certo? Não? Bom paciência. Agora vai ouvir então. Ele é um “cara” que conseguiu fazer duas coisas bem difíceis hoje em dia. Ganhar dinheiro na internet, e na terra do Tio Sam, ou seja, fez sucesso e vive de seu trabalho na internet e nos Estados Unidos. Sorte? Pode ser. Mas por trás de toda pessoa de “sorte” existe um bom conhecimento. No caso de Joe Penna – o verdadeiro nome do “guitarrista misterioso”, ele conhece profundamente os modelos de comunicação da internet, as edições de vídeo em computador e claro, é músico e dos bons. E mais um detalhe: ele é brasileiro!
O personagem inventado por ele virou febre no site de vídeos YouTube e começa a fazer fama fora de lá também. Com trabalho que concorreu em Cannes, comerciais para Coca Cola, Guaraná e McDonalds, ele usa a web como vitrine de seu trabalho, além de ganhar com publicidades em seu canal do YouTube.

No início Joe fazia um vídeo aqui, outro lá. Então começou a trabalhar em comercias e vídeos de música e coisas assim. No fim de 2009 não estava mais fazendo vídeos porque não tinha tempo.
Ficou só no YouTube e colocou todo seu esforço em um vídeo, o Guitar Impossible no qual ficou dois dias trabalhando. Ele ficou na primeira página do YouTube e hoje ultrapassou os 14 milhões de visualizações!
Você pode assistir esse vídeo aqui

No começo ele ganhava pouco. O jeito foi ganhar com os anúncios que o YouTube coloca ao lado e embaixo dos vídeos. Toda vez que alguém clicava, ele ganhava meio centavo. No início, estava ganhando cerca de US$ 900 por mês, (e o aluguel dele era US$ 850). “Ou eu comprava miojo ou não pagava o cartão de crédito [risos]. Mas depois fui colocando mais tempo e esforço nos vídeos e comecei a crescer”, explicou Joe numa entrevista recente.
Com essa fama toda, de vez em quando chegam empresas para patrocinar seus vídeos.

Agora que você já viu o primeiro vídeo dele, assista ao mais recente. Toda semana tem um novo… Mas lembre-se: ficar pendurado na web não vai te ajudar a ficar rico e famoso. Tem que estudar mesmo!

😉